Sem metades, por favor!

Te querer parecia impossível, longe, complicado. Te ter era mais difícil ainda levando em conta que eu tinha que pedir, abrir mão das minhas manias e me adequar à você. Um dia você era meu, de corpo e alma, desde o dedão do pé até os fios de cabelo que eu amava acariciar. Você era meu, ali, deitado quietinho, sua respiração era minha e eu te escutava como quem escuta uma melodia com atenção para entender que ali, era eu e você, corpo a corpo, alma com alma. Bastava sair pela porta que não te sentia mais, não sabia se te esperava ou se pegava o próximo ônibus e voltava pra casa. Era confuso. Era agoniante. Era dor. Quando eu estava com você eu rezava para o tempo parar pois sabia que depois você iria me esquecer. Foi quando eu percebi que você é feito de metades. Metade amor, metade felicidade, metade. E eu não estou pronta para ser metade de ninguém pois eu sou inteira. Meu amor é inteiro, minha alegria é inteira, minha fidelidade é inteira. Não consigo me entregar pela metade e é por isso que não posso aceitar a sua. A gente recebe aquilo que dá e desculpa, mas não consigo te devolver apenas metade. Ou é tudo, ou nada. E é por isso que eu saí pela tua porta decidida não voltar mais. Quem vive pela metade, não vive. Sem metades, por favor, quero alguém que me transborde.

Veja também

Por: Anastácia Kaziuk

Oi! Meu nome é Anastácia Kaziuk, tenho 23 anos e sou de Ji-Paraná, Rondônia. Já...